Perfil

Advogado - Nascido em 1949, na Ilha de SC/BR - Ateu - Adepto do Humanismo e da Ecologia - Residente em Ratones - Florianópolis/SC/BR

Mensagem aos leitores

Benvindo ao universo dos leitores do Izidoro.
Você está convidado a tecer comentários sobre as matérias postadas, os quais serão publicados automaticamente e mantidos neste blog, mesmo que contenham opinião contrária à emitida pelo mantenedor, salvo opiniões extremamente ofensivas, que serão expurgadas, ao critério exclusivo do blogueiro.
Não serão aceitas mensagens destinadas a propaganda comercial ou de serviços, sem que previamente consultado o responsável pelo blog.



sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Evangélica no comando do Carnaval em Florianópolis

As turmas do Carnaval e da comunidade LGBT já estão se mobilizando nas redes sociais contra a nomeação de Jamila Vieira Oliveira Steffen para o cargo de Diretora de Eventos da Secretaria Municipal de Turismo, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico da prefeitura de Florianópolis. O decreto foi publicado no Diário Oficial do Município do último dia 6.
Jamila Vieira Oliveira SteffenFoto: Facebook / Facebook

Jamila é evangélica e em sua página no Facebook aparecem várias postagens com mensagens da Igreja.

"Como é que alguém ligado à Universal vai trabalhar diretamente na organização do Carnaval ou da Parada Gay", questiona um dos ativistas em mensagem pelo Whatsapp.

Jamila também ocupou cargo comissionado na Secretaria de Assistência Social do governo Cesar Souza Junior, a exemplo do marido, Ronaldo Torquato, que comandou o Igeof.

Também já circula um vídeo de 2012 em que Jamila dá seu testemunho da conversão à Igreja, livrando-se das drogas ao encontrar Jesus.

A exemplo da polêmica escolha da candidata laranja à Floram, que foi exonerada pelo prefeito Gean, Jamila também está na cota das indicações evangélicas do PHS e PRB.

A diferença em relação ao caso da Floram é que Jamila apresenta formação acadêmica na área social. Tem o chamado perfil técnico defendido pelo prefeito para constar nos quadros do Executivo. O questionável é colocá-la numa pasta que atua diretamente na organização de eventos conflituosos com a crença dos evangélicos. 

É bom ressaltar que não existe nenhuma questão legal impeditiva à escolha de Jamila para o cargo. Mas quando se mistura política com religião, o resultado nunca é o esperado. 

Prefeitura rebate críticas
A assessoria de imprensa da Prefeitura estranha o posicionamento preconceituoso da comunidade LGBT e do Carnaval pelo simples fato da escolhida para o cargo ser uma evangélica. "A prefeitura não escolhe por religião e nem por gênero, mas pelo o que é melhor para a cidade". Informa o assessor Bruno Oliveira.

Fonte: DC

Nenhum comentário: